Palestra_Coach_Claudia_Silva-151_edited.

BLOG

BLOG

  • Claudia Silva

COMO DEMITIR SEM ESTRESSE

Como demitir de forma humanizada, sem sofrimento, angústia ou ansiedade? “Você está demitido”!

Como três palavras juntas podem causar tanto desconforto?

Apesar de serem necessárias e comuns as demissões são temidas assim como doenças graves, não são nomeadas e pouco se fala sobre elas.

Os problemas gerados pelas demissões vão além do econômico, podem ocasionar problemas físicos, emocionais, psíquicos, separações e em casos mais graves até suicídios.

Todo o ecossistema é afetado pelas demissões, indivíduo, família, empresa, economia e governo.

Isso torna a tarefa de demitir extremamente difícil, o que abala a saúde e desempenho dos líderes quando têm que demitir.

Enfrentei uma demissão aos 24 anos, tinha uma filha de 4 anos, um aluguel para pagar e um relacionamento para terminar, não tinha a quem pedir ajuda financeira. Tudo parecia ruir.

A empresa onde trabalhava era sólida quase 50 anos de mercado, pagavam os melhores salários, tinha premiações extras, o melhor plano de saúde, estava lá há 5 anos.

A notícia da demissão em massa veio através do gerente do RH. Antes de escrever aqui nunca tinha pensado no que ele sentiu naquele momento doloroso.

Alguns funcionários tinham 20 anos de empresa, foi devastador.

O impacto na vida de todos os envolvidos foi enorme, um dos sócios sofreu infarto, outro se matou, foi bem grave.

A intenção aqui não é lamentar sobre as demissões, mas sim, trazer para a luz os efeitos dela para o todo, inclusive para a liderança. Aos 25 anos assumi a liderança de uma equipe comercial, lá fiquei por 9 anos. Durante este período demiti dezenas de pessoas, era meu maior pesadelo.

Demiti pessoas super dedicadas, comprometidas, mas que não atingiam as metas. Demiti vendedores com resultados acima da média, mas com comportamentos arrasadores, demiti amigos, demiti mães e pais de família, estudantes.

Posso afirmar que a maioria dessas demissões foram analisadas criteriosamente e que foram necessárias tanto para a empresa quanto para a pessoa. Isto não torna a tarefa mais fácil ou menos dolorosa. Trabalhávamos com metas semanais e oferecia todo o suporte para a pessoa que entrava, treinamentos constantes, feedback semanal, todo acompanhamento para garantir o desenvolvimento do funcionário, pois afinal de contas contratar é caro, demorado e o sucesso do funcionário é também do líder.

Impactos para os Líderes demissores:

Quando os motivos são evidentes para a demissão, falta de comprometimento, desrespeito à equipe, baixa produtividade, as demissões são menos impactantes para o líder.

Nos casos de demissões por corte de custos, falências, ordens vindas de um superior por não gostar do funcionário, eliminação da função por meio de informatização. Geram efeitos nocivos para os líderes.

No livro Preciso Demitir e Agora? os autores descrevem 6 impactos para os demissores:

1- Estresse - antes, durante e depois

2- Negação - minimização da angústia para dar conta do processo

3- Insegurança - será que é a melhor decisão, será que fiz tudo que me cabia?

4- Sobrecarga de Trabalho - após a demissão distribuir as atividades e/ou contratar outra pessoa para o cargo

5- Queda no desempenho - preocupação com a reação da equipe, frustração desviam a atenção do líder

6- Sintomas físicos - dor de cabeça, insônia, falta ou excesso de apetite, dores no peito, ataque de ansiedade

Entrevistei alguns lideres Mulheres e Homens e separei algumas palavras ditas por ele em relação a demissão:

SOFRIDO - FRUSTRANTE - CHATO - CARO - MOROSO

Nestes contextos relataram também que em algumas situações mesmo fazendo um processo humanizado a pessoa demitida entra em uma postura de inimigo, por temer ser lesada pela empresa ou por não aceitar a demissão.


Vivemos um momento extremante instável, onde os números demissionais aumentam diariamente no mundo, por consequência da queda econômica e da pandemia. O que aumenta a pressão sob os Líderes que também se sentem ameaçados.


Como líderes precisamos focar nas soluções e minimizar os estragos para o todo. Separei 7 fases para a condução da demissão assertiva e humanizada.

1- Tenha um manual demissional Neste manual coloque por que demitir, quando demitir, quanto custa, onde demitir, como demitir. 2- Faça um dossiê do colaborador que será demitido


Este dossiê possibilitará ter segurança e clareza sobre a demissão


3 - Tenha um conselho demissional (se possível)


De posse do dossiê converse com pessoas da sua confiança sobre a decisão


4- Tenha um roteiro


Prepare sua comunicação, destaque pontos positivos do funcionário e os motivos da demissão, processos da demissão e datas do acerto.


5- Ofereça apoio e suporte


Tenha uma lista de empresas de recrutamento e forneça os contatos ao funcionário, se for o caso ofereça uma carta de apresentação.


6- Fale com sua equipe


Comunique a saída do funcionário, sem denegrir a imagem dele, seja transparente e eleve o moral de todos.


7 - Siga em frente


Avalie sua condução no processo, se encontrar pontos de melhoria não fique remoendo, coloque em seu manual e melhore em outra situação.


No momento da demissão, olhe nos olhos, seja gentil, esteja forte, alivie a tensão. Não tema a demissão ela é parte do processo, nossa vida é cíclica, início, meio e fim. Gostou do artigo? Comente, me fale o que achou e se tem alguma história demissional me conte. Um forte abraço!


Claudia Silva


#liderança #demitir #demissões #comunicaçãoparalideres #falalíder


Ribeirão das Neves | Minas Gerais | Brasil

© 2019 por Equipe Claudia Silva